TDAH – Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade
20 de agosto de 2018
Frustração, que mal é esse? | Nayara Carmo - Psicologia e Neuroestimulação
Frustração, que mal é esse?
7 de setembro de 2018
Exibir tudo

4 dicas para lidar com crianças com Transtorno Desafiador Opositivo (TDO)

Transtorno Desafiador Opositivo (TDO) - Nayara Carmo Psicóloga

4 dicas para lidar com crianças com Transtorno Desafiador Opositivo (TDO)

A criança pode perceber que tem pouca empatia com outros. Quando a criança sofre com Transtorno Desafiador Opositivo apresenta comportamentos, tais como: agressivo, vingativo, aborrece-se com facilidade, não consegue se responsabilizar por seus erros, mostra muitas emoções de raiva e são hostis com a autoridade. Estes são alguns dos sintomas básicos. Consequentemente isso causa prejuízos sociais em casa e na escola.

É importante atentar-se para a forma dos sintomas, uma vez que a violação de normas sociais ou direito alheias são sintomas predominantes no transtorno de conduta. Ambos os comportamentos são bem mais presentes na infância e adolescência, por observação na escola, pois é onde se inicia as condutas com o outro em concisões de competências sociais.

Estudos indicam que esta conduta pode estar ligada com outros transtornos como o TDAH, sendo que cerca de 15% das crianças podem desenvolver esta comorbidade, ou seja, a presença de diferentes diagnósticos ao mesmo tempo.

Quais os primeiros pontos que devem ser observados?

Qualquer transtorno de desenvolvimento, como o Transtorno Desafiador Opositivo (TOD) pode se iniciar juntamente em aspectos de dificuldade na aprendizagem, na família e no meio de amigos. Uma das características desta criança ou adolescente vem da resistência por ajudas, querendo sempre resolver seus problemas sozinho.

Qual a diferença da desobediência e do TDO?

Estar contrariado com uma ordem e se frustrar, se manifestar frente a uma opinião está longe de ser uma patologia, ou seja, é bastante normal. Até o momento em que este comportamento começar a ser prejudicial na vida acadêmica e em relações com os outros. A partir disso está nítido que os limites do equilíbrio foram extrapolados.

Quais as causas?

Inicialmente esta é a primeira indagação da família. Costuma ter aspecto relacionado a componentes biológicos e ambientais. Algumas hipóteses podem ser verificadas e encontradas individualmente. Esta não é a finalidade, pois devemos focar na solução e não no problema em si.

As escolas estão preparadas para receber alunos com TDO?

Como dito anteriormente o opositor desafiador tem muita relação com ordem e envolvimento social. As escolas possuem uma grande capacidade de desenvolver competências acadêmicas, não sendo totalmente missão da educação escolar tais habilidades. Atualmente é nítida a preocupação das escolas, pois afeta no desempenho da aprendizagem.

O TDO tem cura?

Sim. É muito importante o tratamento, pois ao evoluírem os sintomas há tendência de desencadear transtornos de conduta social. São exemplos: os excessos na torcidas organizadas, ataques a negros e LGBT, conflitos conjugais que levam a agressões físicas e psicológicas, como outros exemplos.

VEJA 4 TÉCNICAS DE COMO ORIENTAR UMA CRIANÇA OU ADOLESCENTE COM TOD

  1. Encaminhar para um neuropediatra:

Alguns medicamentos apresentam resultados satisfatórios no reequilíbrio de sintomas, como: ataques de raiva, agressividade e frustrações. Porém, só a medicação não será suficiente, pois o individuo precisa aprender a lidar com sua limitação e ter qualidade de vida.

  1. Estratégia de mediação na escola:

É importante a escola saber envolver este aluno no problema e aplicar uma punição que não seja um gatilho para seu comportamento piorar, sendo necessário logo após a realização correta de um bom estimulo.

  1. Realização de um bom planejamento psicoterapêutico:

A psicologia agrega valor para o conhecimento de resolução dos problemas, competência social, vínculos com seus pares e outros. Um bom planejamento envolve todos os campos, como uma relação com o tratamento medicamentoso, escola, família e o paciente.

Transtorno Desafiador Opositivo (TDO) - Nayara Carmo Psicóloga

  1. Atividade propícia:

    1.  

Para tudo, quando se fala em saúde nos lembramos de exercícios físicos. Atividades como boxe, karatê, judô, etc., ajudam a expressar emoções negativas, ter disciplina, respeito e controle para se expressar no momento correto. Isso ajudará no aprimoramento cognitivo e ajuste comportamental.

O Transtorno Desafiador Opositivo tem grandes probabilidades de ser sanado. Porém, é muito importante o empenho dos pais para uma mudança permanente de hábito e comportamento.

No início há dificuldade dos pais na aceitação e compreensão da importância deste processo, sendo absolutamente normal. Entretanto, quanto mais demorado for este enfrentamento, mais difícil e longo será o ajuste para a criança/adolescente.

Pensando nos pais realizei um roteiro, como uma lista de dicas. Caso queira usar este roteiro, clique aqui

.

Espero que ele possa te auxiliar!


Nayara Carmo
Nayara Carmo
Nayara Carmo é Psicóloga, formada pela PUC/GO, especializando em Neuropsicologia e Terapia Cognitivo Comportamental.

Deixe uma resposta